PME estratégia de negócios

PME estratégia de negócios

ESTRATEGIA iBlueMarketing
Sobre o autor: Mestrado em Gestão e Planejamento | Especialização em Comunicação Empresarial e Marketing. Atuações e consultorias em Gestão e Marketing no Brasil e América Latina.

Volume 16 Nº 1 (2020) REGEM mai 2020

ISSN 2763-8022 (International Standard Serial Number)

por Prof. Saulo Carvalho
*direitos reservados ©. Texto com liberdade de citação: CARVALHO, Saulo Henrique

Estratégia de Negócios e orientação a dados:

Estratégia de Negócios: O debate sobre estratégia competitiva, arrebanha por um lado, defensores da clássica construção e fortalecimento de barreiras concorrenciais por meio de escala de produção, permeabilidade mercadológica e estabilidade de mercados de ciclos lento e padrão e, por outro, se apresenta por um séquito cada vez maior de defensores da inovação – geralmente disruptiva. mas não necessariamente -, de mercados com ciclos cada vez mais rápidos e a cauda longa do varejo.

Notamos que melhores resultados em estratégia poderão emergir do modelo híbrido das duas fundamentais propostas e que, gradativa e inevitavelmente, a segunda passa a ter maior protagonismo no planejamento estratégico e na tática operacional orientada por dados. Ainda é importante salientar que as 5 forças e as leis genéricas de Michael Porter são, e serão por muito tempo, objeto primordial para gestores de pequenos, médios e grandes negócios. Afinal, as fronteiras entre mercados de ciclos lento, padrão e rápido são, na maioria das vezes, bastante difusas em um mesmo mercado.

Em primeiro plano é fundamental estabelecer e monitorar uma clara definição de como seu negócio irá encarar a concorrência: Será competitivo pela LIDERANÇA TOTAL EM CUSTOS, ou seja, o mercado em que sua empresa está é um mercado em que a competição se dá fundamentalmente por preços? (não necessariamente baixos), pela DIFERENCIAÇÃO, ou seja, agregar atributos tangíveis e intangíveis que nenhum ou poucos concorrentes têm?, ou, por último, FOCO OU ENFOQUE (nesse caso você está em um negócio em que poucos ou nenhum concorrente existe?). 

Observando as leis genéricas de Michael Porter fica claro que praticamente todas as empresas abraçam a primeira e segunda (portanto LIDERANÇA TOTAL EM CUSTOS e DIFERENCIAÇÃO são práticas diárias que dificilmente quaisquer negócios poderão negligenciar).

Já quando analisamos as 5 forças, também é impossível conceber gestores que não atentam ao PODER DE NEGOCIAÇÃO DOS FORNECEDORES, PODER DE NEGOCIAÇÃO DOS CLIENTES, CONCORRENTES ATUAIS E NOVOS, PRODUTOS e SERVIÇOS de SUBSTITUIÇÃO (que têm potencial de tornar seu negócio desnecessário ao mercado) e como essas forças afetam, direta ou diretamente, o MERCADO CONCORRENCIAL em que sua empresa atua. Equilibrar essas forças de forma que o negócio seja positivamente impactado é fundamental.

PORTER (2004) adaptado CARVALHO (2021)

Tais análises somente se tornarão viáveis quando alimentadas por Pesquisa Científica Estruturada de Mercado. A Pesquisa de Mercado corretamente aplicada é que poderá gerar dados estruturados e gerar ambiente infomacional para a tomada de decisões e a correta estrturação das estratégias de negócios.

São enormes os diferenciais competivos agregados a sua empresa ao estabelecer métricas de pesquisa e análise sobre o macro ambiente do negócio conforme aqui descrito (ambiente externo com oportunidades e ameças) e o micro ambiente (ambiente interno com forças e fraquezas).

Portanto, muitos ainda pensam de forma equivocada que é perda de tempo se debruçar nas teorias e nos dados para construir um plano de negócios e Gestão eficiente com maior probabilidade de sucesso. Cuidar da estratégia do negócio e buscar orientação de dados para a gestão da empresa, ainda é o fator que irá definir fracasso ou sucesso.

Prof. Saulo Carvalho

 

LEIA O ARTIGO: Pesquisa de Mercado aumenta chances de sucesso

Exemplo de Micro Ambiente orientado a Dados: para o micro ambiente implementar estrutura de Inteligência Artificial para medir em tempo real a quantidade de clientes em cada loja, medir o comportamento deles no ponto de venda e cruzar essas informações com o sucesso de atendimento e vendas.

Na iBlueMarketing, prestando consultoria a pequenos e médios negócios há quase duas décadas, ainda ficamos impressionados com a enorme fatia de empresários e empreendedores que não se preocupam com a gestão estratégica competitiva orientada a dados, portanto, ignoram as leis genéricas e as forças de Porter. E é justamente essa fatia que necessita de planejamentos eficazes ao gerir um negócio.

No Brasil, as micro e pequenas empresas representam 30% do PIB e 55% do total de mão de obra formalmente empregada em 2020, segundo o Ministério da Economia. Segundo o SEBRAE também uma em cada quatro empresas de pequeno e médio portes não sobrevive (o número é ainda maior quando excluem-se as MEI`s dos dados). Esses dados devem melhor orientar suas estratégias de negócios.

A probabilidade de fechamento é maior entre os empresários que estavam desempregados antes de abrir o negócio e que tinham pouca experiência no ramo. Abriram o negócio por necessidade (ou exigência de cliente/fornecedor), tiveram menos tempo para planejar, não conseguiram negociar com fornecedores, não conseguiram empréstimos em bancos, não aperfeiçoavam produtos ou serviços, não investiam na capacitação da mão-de-obra, não buscaram inovar, não faziam o acompanhamento rigoroso de receitas e despesas, não diferenciavam seus produtos e não investiam na sua própria capacitação em gestão empresarial.

 

Portanto, muitos ainda pensam de forma equivocada que é perda de tempo se debruçar nas teorias e nos dados para construir um plano de negócios e Gestão eficiente com maior probabilidade de sucesso. Cuidar da estratégia do negócio e buscar orientação de dados para a gestão da empresa, ainda é o fator que irá definir fracasso ou sucesso.

Citação a CARVALHO, Saulo Henrique.

Professor Mestre Saulo Carvalho é Mestre em Gestão e Planejamento (UNITAU) stricto-sensu. Pós-Graduado em Comunicação e Marketing Empresarial (UMESP) lato-sensu, Graduado em Administração de Marketing (UMESP). Admitido em regime especial ao Doutorado sobre Pesquisa Operacional (ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica e Universidade Federal de São Paulo).

Consultor com atuações no Brasil e América Latina. Ministra disciplinas de Administração, Marketing, Pesquisa e Planejamento Estratégico aos cursos superiores de Administração, Marketing e Engenharia. É pesquisador sobre Gestão, Marketing e Ambiente Econômico. Desenvolve e aplica pesquisas científicas sobre Gestão e Marketing.

Referências:

Porter, Michael E., 2004. Estratégia competitiva : técnicas para análise de indústrias e da concorrência. Rio de Janeiro : Elsevier, 2004

https://www.gov.br/economia/pt-br/assuntos/noticias/2020/outubro/governo-destaca-papel-da-micro-e-pequena-empresa-para-a-economia-do-pais

http://datasebrae.com.br/sobrevivencia-das-empresas/#taxa. Acesso em 25 de junho de 2018.

LEIA OS TERMOS DE USO ©


 

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

1
Consultor online
Acesse o Chat para ser atendido! Como podemos ajudar sua empresa ou negócio? (s)